Página principal
Publicações
Cultura da Batata: pragas e doenças
“Cultura da Batata: pragas e doenças"

1º Edição

Idioma: Português
Nº de páginas: 222
País: Brasil
Ano de Edição: 2017

O Instituto Biológico (IB-APTA), da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, lança o livro “Cultura da Batata – Pragas e Doenças”. Esta é a obra mais atualizada sobre a questão fitossanitária da batata, terceiro alimento mais consumido no mundo. A ideia é transferir informações para agricultores, estudantes e pesquisadores sobre os sintomas e manejo dos principais problemas fitossanitários que acometem a cultura em uma linguagem accessível e direta.
“Cultura da Batata: Pragas e Doenças” tem 222 páginas coloridas, muito bem ilustradas. A ideia é, inclusive, desenvolver uma versão para campo, ou seja, de bolso em 2017, para facilitar ainda mais a identificação dos sintomas das doenças, viroses, bactérias e fungos e do ataque das pragas, ou seja, insetos, nematoides e plantas daninhas. “O objetivo do livro é transferir informações de forma simples e didática para que o agricultor identifique os sintomas e maneje de forma adequada”, afirma Fernando Javier Sanhueza Salas, pesquisador do IB e coordenador do livro conjuntamente com o Dr. Jesus G. Töfoli.
A obra trata sobre os atuais problemas fitossanitários, limitantes na bataticultura nacional. Os capítulos foram escritos por pesquisadores do IB e de alguns colaboradores externos envolvidos com o combate a estes problemas firtossanitários, além de alguns alunos ou ex-alunos formados pela Pós Graduação do IB. Segundo os pesquisadores, este é o livro mais atualizado que trata da questão fitossanitária na cultura da batata. A última obra sobre o assunto havia sido lançada em 2003.
Apesar da origem na América do Sul e Central, a batiticultura enfrenta muitos problemas fitossanitários. “Esses problemas aumentaram, quando a cultura começou a ganhar escala industrial e deixou de ser tratada como uma minor crop”, afirma Salas. A mosca branca (Bemisia tabaci) é um exemplo de praga que, recentemente, começou a atingir a cultura, gerando perdas de 20% a 100% na produção, dependendo do ataque do inseto. O principal problema causado está no dano indireto que este inseto causa como inseto-vetor, transmitido diversos fitovírus, sendo o principal, atualmente, o Crinivirus (Tomato chlorosis virus – ToCV) já velho conhecido dos agricultores de tomate no mundo. Em 2011, pesquisas desenvolvidas em diversas universidades e com trabalhos desenvolvidos pelo IB constataram que o vírus está atacando também os batatais do país.
O pesquisador do Instituto Biológico explica que a eficiência no controle de pragas e doenças na cultura deve dar um salto tecnológico e iniciar a utilização do Manejo Integrado de Pragas e doenças. “Esse tipo de manejo, que integra a ocorrência de diversos métodos de controle e manejo contra vários patógenos e pragas, é comum em outras culturas, como algodão, soja, cana-de-açúcar, mas não existia na bataticultura. O IB tem desenvolvido pesquisas nessa área e esta obra auxilia na difusão desses trabalhos”, avalia. O IB desenvolve pesquisas relacionadas à dinâmica populacional dos insetos pragas, transmissão de vírus de plantas, resistência de variedades, emprego de inseticidas e o uso de controle biológico.
O livro aborda também problemas antigos relacionados à produção, como a doença requeima responsável pela “grande fome na Irlanda”, entre 1845 e 1849. “A requeima é uma das principais doenças da bataticultura. Atualmente, é possível fazer o controle por meio de fungicidas. Ainda não há variedades resistentes”, afirma o pesquisador Jesus GuerinoTöfoli.
O livro pode ser comprado diretamente junto a FEPAF/Botucatu ou no Instituto Biológico e pode ser encomendado por internet pelos endereços: recepcao@fepaf.org.br. O valor é R$ 70,00 + postagem, para qualquer local do País.






Preço

R$ 70,00


   Autores : Fernando J. Sanhueza Salas, Jesus G. Töfoli (Eds.)
   
2017 - FEPAF - Fundação de Estudos e Pesquisas Agrícolas e Florestais
Rua Dr. José Barbosa de Barros, 1780 - Fazenda Experimental Lageado - Botucatu - SP - CEP: 18610-307 - Caixa postal 237 - (14) 3880-7127